13.7.10

Tratar a dor ciática - O que deve fazer


LEIA ATÉ AO FIM COM MUITA ATENÇÃO

A descrição sintomática do episódio doloroso não é suficiente para estabelecer um diagnóstico, função que, por lei, está reservada aos médicos, pelo que deverá sempre ser portador de um diagnóstico médico de dor ciática.
Se é verdade que pode parecer tratar-se realmente de uma ciatalgia, a simples dor nada diz sobre as suas causas e são muitas as causas possíveis, algumas a necessitar de tratamento médico-cirúrgico inadiável.

A
terapia alternativa e complementar aos tratamentos químicos e cirúrgicas que mais êxito tem obtido no alívio desta tão aflitiva dor é aquilo a que se chama vulgalmente o "queimar o nervo da orelha", que já o Mário Ferrador praticava na sua oficina da Junqueira, (faleceu em meados dos anos 80 e já não "queimava" há vários anos).



Este "queimar o nervo" é, na realidade, uma cauterização da pele num ponto específico de Auriculoacupunctura, ramo holístico da MTC em que sou formado e que pratico, tem uma excelente taxa de bons resultados nos casos de ciatalgia verdadeira e pode fazer-se em qualquer estadio da doença.
Devo, no entanto frisar que este é um tratamento sintomático, quer dizer, alivia-se a dor mas não trata a causa original.
Deve consultar sempre um médico, pois existem casos com estrita indicação cirúrgica em que um alívio sintomático possa mascarar a real gravidade da lesão e levar a adiar uma intervenção cirúrgica indispensável.
Em relação a contra-indicações elas não existem pois é um tratamento reflexo e portanto indirecto.
Existe, naturalmente, um efeito secundário que é a pequena queimadura dérmica no ponto de cauterização e cuja cicatrização completa leva cerca de uma semana com aplicação diária de um antiséptico tópico para prevenir qualquer infecção a partir da lesão na pele.
Em relação a garantias de eficácia, como em tudo o que envolve a saúde de um ser humano e seus problemas, garantido quer dizer, ou aldrabice, ou milagre; não pratico nem uma nem outro.
A eficácia deste tratamento situa-se muitas vezes algures bem acima da conseguida com as drogas farmacológicas, fisioterapia, massagens, acupunctura clássica, etc. e abaixo do conseguido através da neurocirurgia de reconstrução dos espaços normais das vértebras L4 e L5.
Existem casos de total e permanente êxito e também fracassos totais, felizmente poucos.
O tratamento consiste numa primeira consulta de avaliação do terreno auricular (acupunctura), seguido
de uma segunda consulta para cauterização (queimar) do ponto e decorre em casa do doente ou noutro a combinar caso a caso.




Faço notar que a Auriculoterapia não é reconhecida por organismos oficiais, seguros de saúde, ADSE, IRS, SAMS, etc.



Peço-lhe que leia atentamente o que aqui lhe deixo antes de me contactar ( dorciatica@gmail.com ) e que considere desde já que não farei qualquer tratamento sem um diagnóstico médico recente, escrito, de dor ciática (ciatalgia).

Luís Pontes, terap.
dorciatica@gmail.com

6.7.10

História

Em 1637 o médico português Zacutus Lusitanos descreveu, pela primeira vez numa publicação científica, o êxito da sua experiência clínica no alívio da nevralgia ciática através da cauterização de pontos na orelha dos pacientes.

Esta descrição constituía a primeira expressão científica de uma prática antiquíssima de barbeiros, parteiras, curandeiros e curiosos, mas, por ser impossível de explicar à luz dos conhecimentos da altura, ficou num quase esquecimento até que, em 1951, o francês Paul Nogier se serviu dela como base para estabelecer a moderna Auriculoterapia, como hoje a conhecemos.

5.7.10

O que é a Auriculo-Acupunctura?

A Aurículo-Acupunctura baseia-se no mesmo principio (postulado das respostas reflexas) que fundamenta outras como a Reflexologia Podal , a Iridiologia, etc. Estas disciplinas baseiam-se na verificação empírica que existem algumas zonas do corpo humano que servem de mapa reflexo de zonas mais vastas e que as mãos, os pés, a íris, a língua e as orelhas, são verdadeiros mapas de todo o organismo permitindo uma intervenção não-invasiva sobre a saúde e desempenho dos diversos órgãos.

A moderna Aurículo Acupunctura foi reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como prática válida e é resultante da simbiose entre a sabedoria milenar chinesa no que respeita à técnica de agulhas em pontos meridianos e a Auriculoterapia europeia e a sua proposta de mapeamento do corpo no pavilhão auricular.
Prática pela sua simplicidade; eficaz porque obtêm-se resultados logo nas primeiras sessôes, quer na área da dor e dos distúrbios funcionais e comportamentais, quer na área emocional.

Sendo a orelha um local reflexo privilegiado pela sua proximidade com o cérebro, permite intervenções, sem qualquer perigo, em qualquer área ou função corporal ou psico-emocional.
Usada isoladamente ou como complemento de outras intervenções, médicas ou holísticas, a Aurículo-Acupunctura tem resultados comprovados em áreas como os vícios em geral, tabagismo, alcoolismo, drogas e compulsão alimentar, tendinites, nevralgias, dores de coluna vertebral, dores articulares, dores de cabeça, distúrbios menstruais, distúrbios digestivos, ansiedade, depressões leves e moderadas, alergias e muitos outros transtornos onde a Aurículo-Acupunctura tem provado ser um precioso complemento terapêutico.